Instruções para uso

A amostra do ELSI-Brasil foi delineada para representar a população brasileira com 50 anos ou mais. Encontram-se aqui documentados temas relacionados ao formato e leitura do banco de dados, expansão da amostra, delineamento amostral e variáveis derivadas.

Na página do ELSI-Brasil (www.elsi.cpqrr.fiocruz.br) estão disponíveis os questionários domiciliar e individual, o manual da entrevista e medidas físicas, além de informações gerais sobre a pesquisa, amostra e publicações.

É importante salientar que o ELSI não possui equipe para ajudar os usuários nas análises e interpretação dos dados. Todas as informações necessárias para essas análises encontram-se devidamente documentadas neste e em outros documentos disponíveis na homepage da pesquisa (elsi.cpqrr.fiocruz.br).

Acesso:

Para acessar o banco de dados você deve registrar-se por meio do menu “Registro para acesso” indicado nesta homepage. A seguir, preencha todas as informações cadastrais solicitadas. O username será seu endereço de e-mail. Após confirmação da senha, clique em “Enviar”. Você receberá no endereço de e-mail um link de verificação para confirmação do seu registro. Ao acessar o link você será direcionado para a página de login. Após a realização do login você terá acesso ao banco de dados. Salve o arquivo em seu computador. Para sair, clique no menu superior à direita, opção “sair”.

O Comitê Diretor do ELSI-Brasil incentiva o amplo uso dos dados da pesquisa. O registro do acesso ao banco de dados é importante porque será usado como indicador do interesse dos pesquisadores brasileiros e estrangeiros no uso desses dados.

Formato da base de dados:

O banco de dados está disponível em dois formatos: Stata (versão 13) e arquivo texto com valores separados por vírgulas (extensão ‘.csv’). No primeiro, os labels de todas as variáveis estão descritos. O segundo formato não possibilita a especificação dos labels, mas isso não é um problema porque, a partir dos nomes de cada variável, os respectivos labels podem ser facilmente identificados nos questionários domiciliar e individual, que estão acessíveis nesta homepage.

Em todas as variáveis do banco de dados, exceto quando especificado de forma diferente nos questionários, as categorias de códigos 8/88/888/8888/88888 e assim por diante, referem-se a “Não se aplica (NA)”.

Expansão da amostra:

Por se tratar de amostra complexa, é necessário realizar a expansão da amostra, utilizando o peso amostral (variável peso_calibrado_n), além da incorporação do efeito do delineamento amostral, com base nas seguintes variáveis: unidade primária de análise (variável UPA) e estrato geográfico (variável estrato).

Para usuários do software Stata, segue a linha de comando que deve ser utilizada para incorporação do peso amostral e efeito do delineamento da amostra:

svyset UPA [pweight=peso_calibrado_n], strata(estrato) vce(linearized) singleunit(missing)

Variáveis econômicas (derivadas):

As últimas seis variáveis do banco de dados são variáveis derivadas (não incluídas no questionário), correspondentes às estimativas da renda domiciliar (total e per capita), da renda do entrevistado, do consumo domiciliar (total e per capita) e do valor das propriedades. Os nomes das variáveis derivadas estão mostrados no Quadro 1; as variáveis utilizadas para a sua construção estão descritas no rodapé do mesmo Quadro. Mais informações podem ser vistas no Apêndice deste documento.

Quadro 1 – Variáveis econômicas (derivadas)

Descrição Nome da variável
Renda mensal domiciliar a rendadom
Renda mensal domiciliar per capita a rendadompc
Renda mensal do entrevistado b rendaind
Gasto mensal domiciliar c consumo
Gasto mensal domiciliary per capita c consumopc
Propriedades d propriedades

a: Bloco D (todas as variáveis, exceto d28, d29, d30)

b: Baseado nas variáveis do Bloco D, exceto d28, d29, d30

c: b3, b5, b39, c2, c4, c5, c6, c7, c8, c9, c10, c11, c12 (dividido por 12), c13 (dividido por 12), c14 (dividido por 12), c15 (dividido por 12), c17, c18 (dividido por 12),

d: b6 (menos b4), b8, b37

a,b: Foi assumido que os dados faltantes para um ou mais itens representam ausência de renda no item em questão. Isso pode ter subestimado nossas estimativas, mas é importante salientar que a média da renda domiciliar per capita observada nos participantes do estudo (média igual a R$ 1.175,00) é muito semelhante à observada para a população brasileira nos anos correspondentes (média igual a R$ 1.113 em 2015 e R$ 1.226 in 2016), segundo dados oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)[1].

O Quadro 2 mostra uma síntese dos indicadores acima mencionados, consistindo na sua distribuição em quantis, magnitude das desigualdades por diferentes percentis e número de respostas válidas. Como pode ser visto, existem dados faltantes em algumas variáveis derivadas; deixamos as imputações a critério dos usuários dos dados.

Ainda com relação ao Quadro 2, os resultados mostram (1) desigualdades de igual magnitude na renda domiciliar, renda individual e no consumo no domicílio; (2) desigualdades muito maiores são observadas nos valores das propriedades.

Quadro 2 – Distribuição das variáveis econômicas (derivadas) por quantis

Percentis Renda mensal domiciliar

(n = 9.412)

Renda mensal domiciliar per capita (n = 9.412)

 

Renda mensal do entrevistado

(n = 9.412)

Gasto mensal domiciliar

(n = 6.108)

Gasto mensal domiciliar per capita

(n = 6.108)

Propriedades (casas, propriedades rurais e veículos)

(n = 7.066)

90 6.030 2.115 3.000 4.487,5 1.745,2 562.500
75 3.600 1.280 1.600 2.650 1.018,1 282.500
50 2.154 788 880 1.535,4 579,2 150.000
25 1.380 469,5 500 910,4 334,6 25.000
10 788 257,6 0 610,4 210 0
90/10 7,65 8,21 7,35 8,31
90/50 2,80 2,68 3,41 2,92 3,01 3,75
75/25 2,61 2,73 3,20 2,91 3,04 11,3
50/10 2,73 3,06 2,52 2,76

APÊNDICE

Este apêndice apresenta os critérios utilizados para construção das variáveis econômicas (derivadas) incluídas no banco de dados.

Variáveis derivadas da renda domiciliar e do indivíduo

As variáveis relacionadas à renda (renda mensal domiciliar e renda mensal do entrevistado) foram construídas com base no bloco D do questionário domiciliar (Renda dos moradores), utilizando as variáveis especificadas no rodapé do Quadro 1.

Para cada uma das fontes de renda[2], o questionário está estruturado numa sequência composta por três questões: (1) o morador recebeu, nos últimos 30 dias, da fonte de renda; (2) o valor do rendimento em valores contínuos (em reais); (3) valor recebido, em intervalos de rendimento, quando o informante não sabia especificar o valor da renda na pergunta anterior. Para a construção das variáveis renda domiciliar e renda do indivíduo foi considerada uma combinação dos valores obtidos em (2) e (3). Quando havia a informação, foi considerado o valor especificado na resposta à pergunta aberta. Quando havia somente resposta dos intervalos que mais se aproximavam desse ganho, foi considerado o ponto médio correspondente a cada intervalo; para o último intervalo de classe, o valor foi imputado, considerando-se o ganho mediano dos demais moradores com rendimento nessa faixa, que informaram a renda na pergunta aberta.

O mesmo procedimento foi realizado para cada uma das fontes de renda e para todos os moradores do domicílio. A composição da renda domiciliar baseou-se na soma dos rendimentos de todos os moradores, considerando as cinco fontes de rendas investigadas. Foi assumido que os dados faltantes para um ou mais itens representam ausência de renda no item em questão. A renda mensal domiciliar per capita foi calculada como a razão entre a renda mensal domiciliar e a variável ar6 (número de moradores do domicílio).

Consumo domiciliar

A variável consumo mensal domiciliar foi construída com base em três variáveis do bloco B (prestação mensal da casa/propriedade – item b3, valor pago pelo último aluguel da casa/propriedade – item b5 e total de gastos no domicílio com todos os trabalhadores domésticos – item b39) e nas variáveis do bloco C[3]. Para maiores detalhes ver rodapé do Quadro 1.

Todos as informações referentes ao consumo domiciliar foram obtidas por meio de intervalos de classe. Para composição do consumo domiciliar mensal foi considerado, para cada uma das fontes consideradas, o ponto médio dos intervalos de classe, com exceção da última categoria, para a qual foi assumido o limite inferior do intervalo. Para as informações obtidas com base no gasto anual, o valor do gasto foi dividido por 12, para fins de se obter o gasto mensal.

O consumo domiciliar mensal foi calculado como a soma do gasto em todos os itens considerados, e o consumo domiciliar mensal per capita como a razão entre o gasto mensal domiciliar e o número de moradores do domicílio (variável ar6).

Propriedades

A composição da variável propriedade foi baseada nos itens b6 (valor da casa/propriedade se ela fosse vendida), b4 (quanto ainda falta para terminar de pagar a casa/propriedade), b8 (valor dos outros imóveis) e b37 (valor dos veículos se fossem vendidos).

Inicialmente, como as informações foram obtidas com base em intervalos de classe, seus valores foram definidos como o ponto médio de cada um deles, com exceção da última categoria, para a qual foi assumido o limite inferior do intervalo.

O valor dos bens imóveis foi definido como a diferença entre o valor atual da casa/propriedade (item b6) e o valor ainda a pagar referente à sua aquisição (item b4). Para aqueles participantes que declararam não possuir casa/propriedade própria (item b1), foi assumido o valor 0 (zero). Foi adicionado a esta quantia, o valor referente à posse de outros imóveis, tais como casas, apartamentos, lotes, sítios ou fazendas (item b8). O valor dos bens móveis foi definido com base no valor declarado, caso todos os veículos fossem vendidos (item b37). O valor final das propriedades resultou da soma entre os valores dos bens imóveis e móveis.

[1] (ftp://ftp.ibge.gov.br/Trabalho_e_Rendimento/Pesquisa_Nacional_por_Amostra_de_Domicilios_continua/Renda_domiciliar_per_capita/Renda_domiciliar_per_capita_2015_20160420.pdf (ano-base 2015) e

ftp://ftp.ibge.gov.br/Trabalho_e_Rendimento/Pesquisa_Nacional_por_Amostra_de_Domicilios_continua/Renda_domiciliar_per_capita/Renda_domiciliar_per_capita_2016.pdf (ano-base 2016)).

[2] (1) Rendimentos provenientes de salário ou de trabalho autônomo; (2) Rendimentos provenientes de aposentadoria ou pensão por morte; (3) Bolsa-Família, Benefício de Prestação Continuada (BPC-LOAS) ou pensão alimentícia ou doação em dinheiro de pessoa que não mora no domicílio; (4) Rendimentos de alugueis ou arrendamentos; (5) Rendimentos de outras fontes.

[3]  (1) Gasto mensal com compras no supermercado, sacolão, açougue, feira – item c2; (2) Valor dos alimentos produzidos em casa que os moradores do domicílio consumiram – item c4; (3) Gasto com alimentação fora de casa – item c5; (4) Gasto aproximado com contas de luz, água e gás – item c6; (5) Gasto aproximado com condomínio – item c7; (6) Gasto com transporte – item c8; (7) Gasto com combustível – item c9; (8) Gasto com pagamento de conta de telefone (fixo e celular, TV a cabo/satélite e internet – item c10; (9) Gasto com lazer/diversão – item c11; (10) Gasto com pagamento de IPTU – item c12; (11) Gasto com pagamento de IPVA – item c13; (12) Gasto com compra de veículos automotores – item c14; (13) Gasto com educação/escola – item c15; (14) Gasto com plano de saúde – item c17 e (15) Gasto com outras despesas, incluindo compra de vestuário, roupas e acessórios de cama, copa e cozinha, objetos de decoração e aparelhos eletrodomésticos – item c18.